segurança de software

Como reforçar a proteção de software

Veja porque a proteção de seu software é importante e como garantir mais segurança nos seus sistemas!

A computação em nuvem mudou nosso foco de infraestrutura de hardware para infraestrutura de software. E da mesma forma que antes nos preocupávamos  em como proteger nossos ativos físicos mais importantes, agora também devemos pensar em como proteger as aplicações que fazem o trabalho na empresa acontecer.

A proteção de software é muito mais do que escolher o software mais novo do mercado e confiar nas medidas de segurança do fabricante. Existem muitas ações que você pode (e deve!) tomar para garantir que os sistemas por onde passam os dados críticos da sua empresa estejam protegidos.

Abaixo, separamos uma lista com as principais medidas de segurança de software que toda empresa deve considerar. Veja só:

1. Atualize o software com os mais recentes patches

Nenhum software é perfeito, não importa quem seja seu desenvolvedor. É por isso que todos os fabricantes de software estão sempre em desenvolvimento e lançam regularmente patches de atualizações que corrigem bugs e erros.

É essencial que você faça o controle dos patches e garanta que seus softwares tenham a versão mais atualizada. Isso porque os hackers podem explorar algum potencial bug não corrigido para se infiltrar na sua rede. Foi justamente o que aconteceu com o famoso ataque WannaCry, em 2017.

Os criminosos exploraram uma falha no sistema do Microsoft Windows. O detalhe é que a Microsoft já havia liberado um patch de segurança para que seus clientes atualizassem o sistema. Aqueles que não o fizeram, acabaram vítimas desse que foi um dos maiores ataques cibernéticos da história.

2. Eduque e treine seus funcionários

Seus funcionários são as pessoas que efetivamente estão de frente para seus softwares todos os dias. São eles que inserem ou extraem dados, fazem logins, consultas, e muito mais com os programas. Portanto, é natural que o treinamento relativo a segurança esteja no topo dessa lista.

As ameaças internas estão cada dia mais no foco das empresas. A realidade é que, muita vezes por negligência, os funcionários podem ser o motivo de um vazamento de dados. Por isso, vale investir em treinamentos que mostrem as práticas mais adequadas de segurança e os sinais que podem indicar um ataque hacker.

3. Automatize tarefas de segurança rotineiras

Os invasores usam a automação para detectar portas abertas, configurações incorretas de segurança e assim por diante. Portanto, você não pode defender seus sistemas usando apenas técnicas manuais. Em vez disso, automatize as tarefas de segurança, tanto no desenvolvimento de sistemas como nas ações do dia a dia, como a análise de alterações de configurações de segurança de programas e de dispositivos.

Automatizar tarefas frequentes permite que sua equipe se concentre em iniciativas de segurança mais estratégicas. Você também pode automatizar muitos dos testes de software, se tiver as ferramentas certas.

4. Aplique o Zero Trust Security

O Zero Trust Security é sobre considerar que ninguém, seja presidente ou estagiário da empresa, é confiável por padrão. Ele se baseia no princípio do menor privilégio, que assegura que os funcionários da empresa tenham acesso somente àquilo que for estritamente necessário.

Por exemplo, funcionários do RH não precisam ter acesso a um software de edição de desenhos gráficos de engenharia e, portanto, devem ter seu acesso bloqueado. Isso ajuda a garantir que, mesmo um hacker consiga entrar na sua rede, ele não tenha acesso a todos os seus dados, pois não conseguirá se mover lateralmente de uma parte a outra.

5. Crie um plano de resposta a incidentes

Por mais que você se proteja, está sujeito a ser vítima de um ataque. Por isso, é essencial ter um plano de resposta a incidentes, que preveja como será a recuperação da empresa no caso de um ataque.

O plano deve identificar os primeiros passos a serem tomados quando um ataque for identificado nos seus sistemas para que os hackers não consigam evoluir em suas tentativas de dano. Também deve incluir como será a comunicação do incidente e resposta às autoridades competentes, para garantir o compliance.

A proteção de software na empresa é um assunto sério, que deve ser levado como tal por todos na organização, desde a diretoria até os operadores.

Caso precise de ajudar para reforçar sua segurança, entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo!

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *