inicio do sdlc

Dicas para tratar problemas de segurança dentro do SDLC

Dentro do Ciclo de Vida de Desenvolvimento de Software, você precisa tratar os principais problemas logo no início. Confira 4 dicas de como fazer isso na prática!

Realizar um projeto de sistemas com sucesso pode ser desafiador, principalmente quando falamos da construção de um software corporativo. Para conseguir executar cada etapa da melhor forma possível, as empresas costumam seguir o SDLC: sigla para Software Development Life Cycle ou Ciclo de Vida de Desenvolvimento de Software.

Formado por uma série de fases bem definidas, o SDLC busca entregar a melhor versão do software final, com qualidade e alinhado com a demanda do cliente – e isto inclui a segurança do software desenvolvido, que deve ser a maior possível. Mas nesses processos, alguns problemas podem surgir, e é preciso não só identificá-los mas também tratar cada um deles tendo como pano de fundo a segurança de software..

Ao longo deste artigo vamos passar por alguns dos problemas que os desenvolvedores enfrentam durante o SDLC, e buscar entender como tratá-los para permitir que o desenvolvimento de software seja mais ágil e econômico, além de resultar em um produto mais seguro e resistente a ataques.

4 formas de tratar os problemas no SDLC

No geral, os SDLCs incluem as seguintes fases:

  1. Análise de requisitos
  2. Planejamento
  3. Design e projeto
  4. Codificação
  5. Teste
  6. Instalação / implantação
  7. Manutenção

No passado, as organizações geralmente realizavam atividades relacionadas à segurança apenas como parte da etapa de Teste, no final do SDLC.

Como resultado, elas não encontravam bugs, falhas e outras vulnerabilidades até que fossem muito mais caro e demorado para consertar. Pior ainda, eles não encontrariam nenhuma vulnerabilidade de segurança no início do projeto.

A verdade é que você já precisa tratar os principais problemas da maneira que vamos conhecer a partir de agora em outras etapas além dos Testes, principalmente no início do SDLC.

1. Determine ações de segurança na etapa de Análise de requisitos

Nesta fase inicial, os requisitos para novos recursos são coletados de várias partes interessadas na segurança de software. É importante identificar as considerações de segurança para os requisitos funcionais que estão sendo utilizados no software.

Exemplo de requisito funcional: o usuário precisa verificar suas informações de contato antes de efetuar o login na plataforma.

Nesse exemplo, os usuários devem ser capazes de ver apenas suas próprias informações de contato e de ninguém mais ter esse acesso.

2. Antecipe os possíveis problemas na etapa de Design

Para construir testes de qualidade no meio do ciclo, precisamos antecipar qualquer tipo de problema já na etapa de Design. Esta fase traduz os requisitos dentro do escopo anteior, da fase de Requisitos, em um plano de como isso deve ser feito no software.

Aqui, os requisitos funcionais geralmente descrevem o que deve acontecer, enquanto os requisitos de segurança geralmente se concentram no que não deve acontecer.

Um exemplo de design funcional é a ação de uma página que deve recuperar o nome do usuário, e-mail, telefone e endereço da tabela no banco de dados para exibir as informações na tela.

3. Tratar os problemas problemas na etapa de codificação

Quando é hora de realmente implementar o design e transformar o aspecto visual em realidade, as preocupações geralmente mudam para garantir que o código seja bem escrito do ponto de vista da segurança de software.

Geralmente, existem diretrizes de codificação segura estabelecidas, assim como revisões de código que verificam se essas diretrizes foram seguidas corretamente. Lembrando que essas revisões de código podem ser manuais ou automatizadas.

Nesta fase, os desenvolvedores não podem se preocupar apenas com o código que escrevem, porque a grande maioria dos softwares modernos não é escrito do zero. Existe sempre o reaproveitamento de código para agilizar o processo de desenvolvimento.

As diretrizes para uma codificação segura nesse caso são:

  • Validar as entradas do usuário antes de processar os dados;
  • Autenticar todos os dados que estão sendo enviados de volta para o usuário a partir do banco de dados;
  • Verificar bibliotecas internas ou de código aberto em busca de vulnerabilidades antes de reaproveitá-las.

4. Fechando o ciclo na fase de Manutenção

Os problemas de segurança de software não terminam quando o sistema é lançado ou entregue. Na verdade, vulnerabilidades que escaparam das das etapas anteriores podem ser encontradas muito depois de ele ter sido lançado, já na etapa de manutenção.

Essas vulnerabilidades podem estar no código que os desenvolvedores escreveram, mas são cada vez mais encontradas nos componentes adicionais que compõem um software. No caso dos aplicativos para smartphones, isso acontece no acesso a dados e funcionalidades do próprio aparelho.

Essas vulnerabilidades precisam ser corrigidas pela equipe de desenvolvimento, um processo que pode, em alguns casos, exigir reescritas significativas da funcionalidade do aplicativo.

Agora que você já sabe como tratar cada problema logo no início do SDLC, confira como a Nova8 Cybersecurity pode apoiar sua empresa com soluções para segurança de aplicação nesse processo. Estamos à disposição para entender suas necessidades e fazer um orçamento com as melhores soluções do mercado!

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *