tres dicas de software

3 dicas para um desenvolvimento de software seguro

Veja aqui as melhores dicas para conseguir implementar um processo de desenvolvimento de software seguro e a importância de fazer isso desde o início.

Todo desenvolvedor sabe a importância de seguir as melhores práticas de segurança e proteção de dados. Porém às vezes a vontade é de usar um atalho porque temos prazos curtos e várias atividades para executar, mas infelizmente isso geralmente se transforma em uma decisão prejudicial, e foge às boas práticas do desenvolvimento de software seguro.

Sempre que você está construindo um sistema, ao invés de usar uma solução pronta para uso, está se expondo em situações em que um deslize pode significar perda de ativos e de tempo na operação. Por isso, seguir sempre as práticas do desenvolvimento de software seguro é essencial, assim como usar todos os recursos possíveis para isto – quer sejam ferramentas, metodologia ou serviços externos à equipe de desenvolvimento.

Manter as práticas de segurança já durante as fases iniciais de desenvolvimento é a melhor maneira de evitar problemas que podem surgir durante os estágios posteriores ou mesmo na operação, com custos muito significativos. Por isso resolvemos falar sobre estas 3 dicas que você deveria seguir para alcançar o nível de segurança adequado.

Qual a importância de investir em desenvolvimento de software seguro?

Quando você desenvolve um software internamente à organização, é melhor começar a avaliar os riscos de segurança desde o início do SDLC. Isso é importante para evitar os custos relacionados aos principais fatores de risco de desenvolvimento de software, como por exemplo:

  • Os sistemas interdependentes significam que qualquer componente pode ser o elo mais fraco;
  • O tamanho e a complexidade do software deixam os testes cada vez mais complicados;
  • Uma cadeia de demandas de mudanças e atualizações aumenta a exposição ao risco.

É exatamente aqui que muitas empresas falham porque não prestam atenção suficiente aos requisitos de segurança no começo. Começar cedo o ajudará a antecipar os problemas que podem surgir e a fazer planos para resolvê-los assim que surgirem.

Então considerando isto, vamos a alguns pontos que consideramos muito importantes para as equipes de desenvolvimento tratarem relacionados à segurança dos sistemas que constroem.

3 dicas para um desenvolvimento de software seguro

Para garantir que seguirá em todas as fases de desenvolvimento atendendo os requisitos de segurança, é importantíssimo considerar o seguinte:

1. Comece olhando para os requisitos de software seguro

Você pode abordar e eliminar pontos fracos em seu processo de desenvolvimento seguro se olhar para os requisitos necessários logo de imediato, no seu planejamento.

Por isso, comece definindo os requisitos de software. As melhores práticas incluem:

  • Restrições nos comportamentos do processo e tratamento de dados;
  • Resistência e tolerância a falhas;
  • Projetos que demandam interações inesperadas entre pessoas, equipes e processos.

2. Desenvolva com base em padrões de software seguros

O desenvolvimento com padrões de conformidade em mente também pode melhorar a segurança em todo o ciclo de desenvolvimento. Os padrões de conformidade, como o ISO/IEC 9126 – exigem padrões de codificação. E os padrões de codificação fornecem aos desenvolvedores uma maneira de identificar e evitar riscos.

Uma das iniciativas de segurança mais importantes para sua operação é seguir esses padrões de codificação. É uma prática recomendada usá-los para garantir:

  • Que o código é consistente;
  • O código escrito por qualquer desenvolvedor é legível e fácil de entender;
  • As revisões de código e a manutenção posterior são eficientes.

Em resumo, o uso de padrões de codificação ajuda a prevenir, detectar e eliminar os pontos fracos de segurança.

3. Teste logo no início e com frequência

Encontrar pontos fracos de segurança no início do desenvolvimento reduz custos e acelera os ciclos de lançamento. Assim, é importante testar o código assim que ele for escrito – e testar qualquer código que esteja sendo reutilizado em um projeto anterior.

Também é importante testar com frequência durante todo o processo de desenvolvimento. Portanto, é uma prática recomendada testar o código incluindo:

  • Análise de código estático;
  • Revisões de código, tanto manuais como automatizadas;
  • Testes baseado em requisitos.

Mesmo depois de o software ter sido desenvolvido, você precisa continuar fazendo testes de segurança para garantir que o software não esteja vulnerável de forma alguma. Lembre-se de que softwares não seguros podem afetar seus negócios de uma forma muito negativa. Portanto, aconteça o que acontecer, priorize a segurança.

E para ajuda-lo neste desafio você pode contar com a Nova 8 Cybersecurity: contamos com um Centro de Excelência em segurança cibernética, onde as melhores soluções de mercado passam por um processo de On-boarding para garantir a maior acuracidade possível na verificação de vulnerabilidades. Entre em contato para saber mais!

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *