businessman-logging-his-tablet

Segurança Cibernética: como identificar vulnerabilidades

Segurança cibernética é a prática da defesa e proteção de software, hardware e dados contra ameaças cibernéticas. É uma estratégia usada por indivíduos e empresas para proteção contra acessos não autorizados a sistemas computadorizados e aos dados utilizados por eles.

Logo, uma política de segurança cibernética formaliza e documenta esta estratégia, estabelecendo as diretrizes de uma organização neste sentido.

Conforme define a Gartner, é na política de cibersegurança que são definidos os princípios e a abordagem adotados para garantir o gerenciamento eficaz de riscos de segurança cibernética na busca de seus objetivos estratégicos.

Neste artigo, além de entender por que a segurança cibernética é importante para sua empresa, você vai ver quais são as principais ameaças a ela.

As principais ameaças à segurança cibernética nas empresas

O crescente volume e sofisticação das técnicas de ciberataques fazem — ou deveriam fazer — com que muitas empresas se preocupem com sua segurança cibernética. E o princípio disso tudo é a detecção dos riscos e ameaças.

Quais são as ameaças mais frequentes com as quais as organizações têm que lidar? Entenda mais sobre isto nos tópicos que seguem!

Ataques DoS e DDoS

Um ataque de negação de serviço (denial-of-service – DoS) inunda um servidor com tráfego, tornando um site ou recurso indisponível.

Já um ataque de negação de serviço distribuído (distributed denial-of-service – DDoS) é um ataque DoS que usa vários computadores ou máquinas para inundar um recurso direcionado.

Ambos os tipos de ataques sobrecarregam um servidor ou aplicativo da web com o objetivo de interromper serviços.

Ransomwares

Ransomware é um tipo de malware que impede os usuários de acessar sistemas ou arquivos pessoais e exige o pagamento de um resgate para recuperar o acesso.

O ransomware pode infectar o computador de várias maneiras diferentes. Um dos métodos mais comuns hoje em dia é por meio de spam malicioso que é um e-mail não solicitado usado para entregar malware. Pode incluir anexos “armadilhas”, como PDFs ou documentos do Word; também pode conter links para sites maliciosos.

Phishing

Phishing é um tipo de ataque de engenharia social em que os criminosos cibernéticos enganam as vítimas para que entreguem informações confidenciais ou instalem malwares.

Na maioria das vezes, eles fazem isso por meio de e-mails maliciosos que parecem ser de remetentes confiáveis, mas às vezes usam outros meios, que são explicados a seguir.

A maioria das campanhas de phishing emprega um de dois métodos básicos:

  • anexos de e-mail maliciosos, que geralmente têm nomes atraentes, como ‘INVOICE’, instalam malware nas máquinas das vítimas quando abertos;

  • links maliciosos apontam para sites que geralmente são clones de sites legítimos, que baixam malware ou cujas páginas de login contêm scripts de coleta de credenciais.

→ Leia também: 4 elementos essenciais de um programa anti-phishing!

Ataque backdoor

Um backdoor é um meio de acessar um sistema de computador ou dados criptografados que contornam os mecanismos de segurança habituais.

Um desenvolvedor pode criar um backdoor para que um aplicativo ou sistema operacional possa ser acessado para solução de problemas ou outros fins. No entanto, os invasores costumam usar backdoors que eles detectam ou instalam como parte de um golpe.

Seja instalado como uma ferramenta administrativa, um meio de ataque ou um mecanismo que permite acessar dados criptografados, um backdoor é um risco de segurança cibernético porque sempre há criminosos procurando por qualquer vulnerabilidade para explorar.

→ Leia também: 4 práticas para garantir a segurança de sistemas!

Como identificar vulnerabilidades à segurança cibernética da sua empresa

Vulnerabilidades são falhas em seus sistemas que podem ser exploradas por invasores. Frequentemente, não são erros maliciosos, mas simplesmente erros ou coisas que foram esquecidas.

O que fazer para identificar possíveis vulnerabilidades à segurança cibernética da sua empresa? Veja algumas dicas práticas a seguir!

Observe sua própria rede

A maneira mais importante de identificar ameaças e vulnerabilidades é certificar-se de que você pode vê-las.

Você deseja poder olhar para suas defesas da mesma forma que um invasor, entendendo os pontos fracos de sua rede e as ameaças com maior probabilidade de afetar sua organização.

Use inteligência de ameaças

Que tipos de ataques estão sendo lançados e quais ameaças sua organização pode atrair?

Ao compreender o cenário de ameaças, você pode proteger sua organização contra ameaças antes que elas aconteçam.

Utilize práticas de segurança no desenvolvimento de seus sistemas

Quando os sistemas são desenvolvidos internamente na organização é fundamental trabalhar com foco em segurança durante todo o SDLC – Software Development Lyfe Cycle – ou ciclo de desenvolvimento, o que significa ter ações desde o início deste processo.

Para isto é importante usar práticas e métodos específicos para este fim, além de ferramentas que possam checar e corrigir código, ou mesmo apontar possíveis problemas com antecedência, evitando que sistemas vulneráveis entrem em produção.

Faça testes de invasão

Onde suas defesas se dobram sob pressão? Qual funcionário provavelmente clicará em um link inválido em um e-mail suspeito?

Você não pode saber até testar suas defesas, e o teste de invasão é a melhor maneira de fazer isso.

→ Saiba mais: Como os testes de invasão melhoram a gestão de riscos!

Gerencie bem as permissões

Ao segmentar sua rede e gerenciar permissões para que nem todos os funcionários possam acessar todas as partes, você pode controlar quem vê o quê.

Fazendo isso, você também proteger sua rede contra violações de dados e usuários internos mal-intencionados.

Use um firewall adequado

Não há razão para não usar firewalls, interna e externamente.

Os firewalls impedem que usuários não autorizados acessem sua rede de computadores e outros dispositivos. Eles também controlam o tráfego em sua rede.

Monitore constantemente sua rede

A segurança cibernética precisa ser constantemente monitorada para ser eficaz.

Depois de definir seus controles, certifique-se de que eles sejam verificados regularmente e atualizados com frequência para que possam detectar quaisquer novas vulnerabilidades ou ameaças que possam atingir sua rede.

→ Leia também: 4 falhas na gestão de vulnerabilidades que sua empresa deve tratar!

Conclusão

É correto afirmar que uma estratégia de segurança cibernética forte pode fornecer uma boa postura organizacional contra ataques maliciosos. É o que também garante proteção contra mecanismos projetados para acessar, alterar, excluir, destruir ou extorquir os sistemas, usuários e dados confidenciais.

A segurança cibernética também é fundamental na prevenção de ataques que visam desativar ou interromper as operações de um sistema ou dispositivo.

Em suma, com um número cada vez maior de usuários, dispositivos e programas nas empresas modernas, combinado com o crescente dilúvio de dados — muitos dos quais são sensíveis ou confidenciais — a importância da segurança cibernética continua a crescer.

Aqui na Nova, nós ajudamos muitas empresas a melhorarem sua segurança cibernética entregando serviços sob medida para as vulnerabilidades encontradas. Nossa experiência nos mostra que investir nisso potencializa a competitividade corporativa, reduz custos, entre outros benefícios!

O que você achou das dicas para identificar e neutralizar vulnerabilidades na segurança cibernética? Se precisar de ajuda, você já sabe: entre em contato conosco!

Tags: Sem tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *